sábado, 7 de julho de 2018

O Brasil do conhecimento


Olimpíada do Conhecimento tem inovações para qualidade de vida e saúde

Publicado em 05/07/2018 - 14:37

Por Carolina Gonçalves - Repórter da Agência Brasil Brasília




Uma viagem ao futuro que começa com a travessia de um túnel onde as paredes projetam imagens de novas tecnologias já presentes nos nossos dias. A partir dali, olhares curiosos mergulham em um universo de novas possibilidades sequer pensadas pela maior parte das pessoas e que prometem melhorar a qualidade de vida, produtividade e a saúde da humanidade.

O cenário é o da 10ª edição da Olimpíada do Conhecimento, aberta gratuitamente ao público a partir de hoje (5), no Centro Internacional de Convenções de Brasília. Os experimentos foram desenvolvidos por alunos do Senai e do Sesi e também por empresas.  
Na cama, o travesseiro ergonômico é produzido com copos e sacolas de plástico - Antonio Cruz/Agência Brasil

O primeiro ambiente é o da Casa Inteligente. Dividida em quatro cômodos – quarto, sala, cozinha e banheiro – o espaço reúne tecnologias facilitadoras do dia-a-dia que podem virar realidade em poucos anos. O espelho que funciona como uma guarda-roupa digital rouba as atenções já na entrada ao local. Depois de cadastrar fotos de todas as peças do armário, as pessoas montam o figurino que querem usar no dia através de uma tela.

Na cama, o travesseiro ergonômico é produzido com copos e sacolas de plástico. No jardim, sistemas de irrigação automáticos garantem economia de água com a garantia de jardins verdes sempre. No espaço reservado aos bichinhos de estimação, a alimentação e a água é são disponibilizadas por máquinas que calculam e oferecem as quantidades necessárias.

Cidade do futuro

Alguns passos adiante, o visitante ingressa em uma cidade do futuro onde as inovações enchem os olhos de crianças e adultos. Além dos carros elétricos, com funções cada vez mais modernas, o espaço moda disputa o interesse dos visitantes. Como uma espécie de alfaiate virtual, uma máquina tira as medidas da pessoa e, a partir de um sensor tátil, também verifica a textura da pele e possíveis alergias que podem conduzir a escolha do tecido que será utilizado. Em 30 minutos, as informações são passadas para um outro estande que imprime a roupa escolhida em peça real e um drone leva a peça da “fábrica” até a “loja” onde o cliente recebe o produto.

No mesmo espaço que simula ruas e lojas de todos os tipos, é fácil esbarrar em um robô gigante. Também é possível tomar um café com sua foto impressa no líquido, por um equipamento que ainda não existe no Brasil.
Na mesa garçom é possível escolher bebidas, ingredientes de uma pizza, e também pagar pelo pedido - Carolina Gonçalves/Agência Brasil

Das inovações que já podem ser encontradas em cidades como São Paulo, está, por exemplo, a mesa garçom, na qual é possível escolher bebidas, ingredientes de uma pizza, e também pagar pelo pedido em poucos minutos.

Nas “ruas”, circulam inventos como o fabricado por Rafael Flausino.  Com o filho cadeirante que queria andar de bicicleta, Flausino procurou um curso de mecânica para saber como realizar o sonho do pequeno. “Ele queria muito, então procurei saber como faria uma cadeira de rodas que pudesse ser acoplada a uma bicicleta. A mesma cadeira pode ser encaixada e desencaixada e, se a pessoa estiver cansada ainda é possível deitar a cadeira”, explicou.

O projeto de Flausino é um protótipo. Atende à necessidade de sua família, mas, em poucas horas, mais de um investidor parou para conhecer o projeto. Se houver interesse, a bicicleta poderá passar a ser produzida para o mercado.

Saúde
Óculos para deficientes visuais com sensores de ré, os mesmos usados em carros - Carolina Gonçalves/Agência Brasil

No evento, também é possível conhecer a proposta de um centro de saúde que prioriza o monitoramento constante de indicadores de saúde das pessoas, para que a prevenção se sobreponha ao tratamento. Caso seja necessário, um robô, conhecido como Da Vinci, mostra como a tecnologia pode ser usada em cirurgias demorando 25% do tempo usual necessário para uma equipe médica.

Outro espaço considerado prioritário pelos organizadores, é a Escola do Futuro, onde cerca de dez estandes mostram o produto de “provocações” aos alunos para que foquem seus esforços mais na solução de problemas do que em disciplinas tradicionais.

O resultado aparece em produtos como os óculos para deficientes visuais com sensores de ré, os mesmos usados em carro. Com isto, pessoas que usam apenas bengalas para garantir segurança no caminhar têm um instrumento a mais para sinalizar obstáculos à frente.

Disputas

Este é o primeiro ano em que a Olimpíada funciona mais como exposição do que como uma série de competições. Mas as disputas entre grandes inventores não ficou totalmente de fora do evento.

Na área destinada à robótica, nove projetos concorrem a uma premiação que será anunciada no domingo, último dia da Olimpíada. Alunos de várias partes do país foram desafiados a criar processos para otimizar e melhorar serviços nos portos. As criações se concentram, por exemplo, em maneiras de facilitar o atracamento de navios e o estacionamento de containers.
 

Edição: Sabrina Craide


quinta-feira, 28 de junho de 2018

Globalmente


Os 5 idiomas mais importantes para os profissionais brasileiros

Por Colunista do Estudar Fora







O mundo está cada dia mais conectado, a internet e as mídias sociais permitem que pessoas de diferentes países, culturas e idiomas possam se comunicar e interagir em tempo real. Isso afeta tanto a forma como nos relacionamos com o mundo, quanto como negócios são conduzidos a nível global. Neste contexto, saber um idioma estrangeiro torna-se algo ainda mais relevante para o desenvolvimento profissional e pessoal.

O Brasil é uma das maiores economias globais e, para nós brasileiros, saber idiomas é um grande diferencial para ter melhores oportunidades profissionais – tanto em nosso país como no exterior.

Listamos os cinco principais idiomas estrangeiros para os brasileiros, com base nas oportunidades que seu conhecimento pode trazer para aqueles que os dominam.



#1 Inglês

Inglês é o idioma mais difundido internacionalmente e o mais importante para os brasileiros. Pela importância histórica e econômica dos países de língua inglesa, o inglês é o idioma internacionalmente utilizado no mundo dos negócios e em organizações internacionais.

Segundo pesquisa da Page Personnel (empresa de recrutamento), atualmente 60% das vagas de emprego requerem algum conhecimento de inglês e, em 10 anos, isso será um pré-requisito básico.

Além de abrir muitas oportunidades dentro do Brasil, falar inglês também abre as portas para o desenvolvimento de uma carreira internacional. Muitos países, mesmo que não tenham inglês como idioma nativo, aceitam estudantes e contratam profissionais estrangeiros tendo como requisito o inglês fluente, pois é o idioma utilizado no ambiente de trabalho e estudos.

Não menos importante, para o turismo, você quase 100% das vezes encontrará alguém para te ajudar em inglês, independente do seu destino.

#2 Espanhol

Quase todos nossos vizinhos na América Latina falam espanhol e esse é o grupo de países com quem mais desenvolvemos comércio. Saber falar espanhol abre oportunidades para negócios e empregos em mais de vinte países no mundo todo.

É importante ressaltar a necessidade de estudar espanhol a sério, de não contentar-se com o “portunhol”. Afinal, é importante que a comunicação seja clara e objetiva – por isso, a fluência no idioma é essencial.

A Espanha e os demais países da América do Sul são também um dos principais destinos turísticos para os brasileiros e poder comunicar-se em espanhol proporciona uma experiência mais autêntica e próxima de experimentar a cultura local.

#3 Chinês

A China é, já há 10 anos, o principal parceiro comercial do Brasil. Essa relação tem se intensificado, os países têm desenvolvido uma série de projetos em conjunto. A China é um dos principais investidores internacionais no Brasil em infraestrutura e há um crescente número de empresas chinesas investindo ou comprando de empresas brasileiras.

Assim como no Brasil, o nível de inglês na China não é elevado. Então, saber falar mandarim e entender a cultura do país asiático é um grande diferencial para trabalhar com negócios entre Brasil e China ou mesmo estudar no país asiático. O número de brasileiros que falam chinês é muito pequeno – então, o conhecimento do idioma é, definitivamente, um diferencial competitivo de poucos.

#4 Alemão

A Alemanha é o quarto mais importante parceiro comercial brasileiro e, por isso, consideramos o alemão como o quarto idioma mais importante. As oportunidades de trabalho na Alemanha são muitas, já que se trata do país da zona do euro com a menor taxa de desemprego, com a mais sólida economia. Portanto, falar o idioma local é um diferencial para conseguir trabalho no país, referência em tecnologia, além de estudos em universidades alemãs. Em outras palavras, falar alemão também dá a oportunidade de obter qualificação em instituições de ensino prestigiadas, assim como obter experiência de nível internacional no país.

#5 Francês

O francês é o idioma oficial da França e de outros 30 países, localizados principalmente na África. As multinacionais francesas estão espalhadas pelo mundo todo, muitas têm operações no Brasil. Considerando que os franceses têm muito orgulho de seu idioma, falar francês é um diferencial para o desenvolvimento de uma carreira de sucesso nestas empresas.

Com o crescente interesse dos brasileiros em morar no exterior, saber francês pode ajudar muito nesse processo – seja em um intercâmbio acadêmico ou numa graduação ou pós completa. E isso não vale só para oportunidades na França. Por exemplo, a província de Quebec, no Canadá, tem o francês como idioma oficial.

Sobre o autor

Paulo Afonso Locali é formado em Administração pela Universidade de São Paulo e mestrando em Economia (Comércio Exterior) pela Universidade de Xangai. Possui experiência internacional (Espanha e China) em parques tecnológicos e startups educacionais. Atualmente trabalha como Gerente Regional para a IberoAmérica no italki, que é o marketplace de professores de idiomas líder mundial.

sábado, 2 de junho de 2018

Dubai, Dubai


Programa seleciona recém-formados para treinamento e estágio em Dubai





Um programa dedicado a ensinar sobre negócios e treinar jovens líderes em áreas como gestão e finanças, com todas as despesas pagas. Essa é a proposta do Dubai Business Associates Programme, organizado pela Falcon and Associates.

A iniciativa selecionará recém-formados, com até três anos de experiência profissional e proficiência em inglês, para sua nova turma. As inscrições para participar desta edição vão até 30 de junho e os participantes desembarcam nos Emirados Árabes Unidos em setembro.

Os jovens escolhidos serão alocados em empresas parceiras no país, para desenvolver projetos e aprender sobre o ambiente de negócios da região. Entre as entidades envolvidas, onde os participantes fazem estágio, estão a Fintech Hive, o grupo Emirates e a Fundação Al Jalila.

 Como funciona o programa em Dubai

A iniciativa em Dubai combina aulas à experiência profissional internacional. De um lado, os alunos passam por um treinamento em gestão, desenvolvendo capacidades analíticas e de liderança. As aulas são ministradas por parceiros educacionais do programa – a Bon Education, a Capadev e a PwC. Logo de cara, são ensinadas matérias como análise financeira, design thinking e inovação.


Depois do primeiro mês, chega a vez dos estágios em organizações parceiras. Além do aspecto profissional, há oportunidades de mentoria, treinamento sobre soft skills e, ainda, atividades culturais. Com o tempo, os participantes também ganham experiência em análise de dados, elaboração de modelos de negócio e gestão de equipes.

Como benefício, os selecionados para o treinamento em Dubai recebem apoio integral, que inclui acomodação, seguro-saúde e um auxílio mensal para manutenção no país. Também são cobertos os gastos com passagens aéreas e visto.

Como se inscrever

Devem ser submetidos documentos como currículo em inglês e um essay que explique a motivação por trás da candidatura ao programa e o interesse pelos Emirados Árabes Unidos.

Além disso, cada jovem interessado deve enviar um vídeo de até 90 segundos, detalhando de que forma se encaixa no ambiente de aprendizado do Dubai Business Associates Programme e suas responsabilidades.

As candidaturas devem ser enviadas por e-mail para o endereço recruitment@dubaibusinessassociates.ae, até 30 de junho. Para saber mais sobre o DBA, basta acessar o site.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Estudar para mudar


Bolsas para Mulheres em Finanças – em qualquer país ou universidade
Por Nathalia Bustamante





Esta bolsa é para quem quer estudar fora – ou não. Ao invés de ser voltada a estudantes de uma determinada instituição ou país, a organização FINCAD promove anualmente o prêmio “Women in Finance”, que visa estimular que mais mulheres busquem oportunidades de estudo de pós-graduação em finanças, seja onde for.

A bolsa de estudos é um prêmio de 10 mil dólares e podem se candidatar a elas mulheres de todas as idades e países que estejam atualmente matriculadas ou cursando um programa de pós-graduação em Finanças (como mestrado ou doutorado). As candidaturas devem ser feitas até 30 de junho através do site.

Para concorrer, é preciso enviar, por meio do site, currículo em inglês, duas cartas de recomendação, histórico acadêmico da graduação e confirmação de matrícula ou carta de aceite para um programa de pós-graduação em Finanças, para o ano acadêmico de 2018-2019.

Escolas buscam maneiras de aumentar presença feminina
O debate sobre o baixo número de mulheres em programas de Finanças e Negócios, de uma forma geral, é frequente. As instituições mais atentas à questão trabalham para aumentar esse índice, que entre 2014-2015 estava em 36,9%, segundo levantamento feito pela Association to Advance Collegiate Schools of Business (AACSB). Em 2010-2011 o número correspondia a 36,3% – crescimento praticamente nulo.

Para Daniela Mendez, country manager da IE Business School no Brasil, dois fatores costumam afastar as mulheres dos MBAs: o desequilíbrio entre trabalho e família, em uma época crítica associada à geração de filhos; e a falta de exemplos inspiradores. Pensando nisso, a escola de negócios espanhola implementou diversas ações visando aumentar a representatividade feminina no campus, incluindo novos programas de bolsas de estudos dirigidos a mulheres candidatas de MBAs.

Para ter uma ideia, a IE chegou a levantar um fundo de 6 milhões de euros dedicado exclusivamente a mulheres e promove a premiação mensal de uma mulher de destaque entre seu corpo de alunas – que é divulgada internacionalmente. Segundo a escola, isso reforça a comunicação de cases de mulheres no mundo dos negócios, que podem servir como inspiração para futuras candidatas.
estudarfora.org

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Trabalhando


 A MANUTENÇÃO DE UMA ESCOLA DE CURSOS E TREINAMENTOS DIANTE DA PARALISIA ATUAL.









Desde 2012 Parauapebas se transformou no cemitério de muitos negócios. Acostumados a tratar os clientes de forma até ríspida muitas escolas fecharam suas portas, a evasão total de alunos e recursos descaíram como as empreiteiras: sumiram do mapa.


Estamos há mais de vinte anos oferecendo cursos e treinamentos em Parauapebas. Fomos pioneiros nisso e fomos largamente copiados, fomos roubados de documentos e informações, houve traições e sacanagens. Como sobrevivemos? Ou como sobreviver a uma tempestade anunciada e sem data para se encerrar?


Foi graças a forte identificação dos nossos clientes com nossa empresa que nos permitiu sonhar. Quando fomos engolidos pela prestação de serviços ao Sossego, foram nossas alunos e nossos clientes empresas que nos buscaram e nos ajudaram a retomar a confiança e reerguer. Para nós, a diversidade de nossos produtos e serviços nos permitiu mandar nossa empresa. 



Temos alunos e temos parceiros. A indicação conquistada pelo respeito e consideração que temos por todos aqueles que se tornam nossos clientes nos permitiu manter a tona.
Somos gratos e aprendemos que o ecossistema dos negócios exigem entrega em especial e espetacular capacidade de comunicação e parceria.

Oferecemos os mesmos cursos e desde 2010, aceitamos no máximo três alunos por turma, à exceção do treinamento de RACs, que enchem turmas. O atendimento é carinhosamente individual, nossos alunos não dividem máquinas, laboratórios, máquinas de solda. 


Todos são treinados na pratica individualmente. Para tolice mas não nos arrependemos de agir assim, temos fortes e firmes relações com nossos ex-clientes. Empresas e pessoas. nossa longa vivencia no mercado nos habilitou as suas vicissitudes.






 Serviços e produtos que fazem a diferença para sua empresa, entidade ou cidade. Fale conosco!